ATsaúde - Tecnologia em prol da saúde

NotíciaNovidade

Como o Google pretende usar IA para reinventar o mercado da saúde

by André Marques dos Santos 257

Tenho observado um grande movimento das empresas de tecnologia para o mercado da saúde, cada vez mais essas enxergam oportunidades no setor da saúde. O mais curioso é que as ferramentas que tem sido lançadas pelos grandes (google, ibm, etc), não tem nada de novo, pelo contrário, são adaptações de soluções que já são aplicadas em outros mercado, que já têm robustez.

Nessa publicação vamos focar no que o Google tem feito na área da saúde, no dia 19 de maio, a CBinsights publicou um relatório intitulado “How Google Plans To Use AI To Reinvent The $3 Trillion US Healthcare Industry” e vamos ao longo desse artigo trazer alguns pontos desse relatório

A principal crença do Google é que o futuro da saúde está em dados estruturados e na inteligência artificial. O Google sempre se considerou mais do que uma empresa de pesquisa e publicidade. Agora, está voltando seu foco para a saúde, apostando que sua experiência na IA pode criar um novo e poderoso paradigma para a detecção, diagnóstico e tratamento de doenças.

Você sabia que o Google tem um projeto para liberar mosquitos estéreis para controlar a disseminação de doenças infecciosas? Ou que a empresa lançou uma versão comercial limitada do seu programa de gerenciamento de diabetes? Ou que parece que estão explorando o mercado de seguros?

O Google quer entrar na área da saúde e está utilizando principalmente sua expertise em IA para isso. Os dados de saúde estão sendo digitalizados e estruturados, de um novo padrão de registro eletrônico para geração de imagens e sequenciamento de DNA. O Google está ajudando a acelerar esse processo criando novos meios de armazenar dados de saúde e apostando que ele pode usar a AI para entender os dados de maneira rápida e potencialmente mais precisa do que os métodos atuais.

A empresa está duplicando o número de pesquisas que publica, abrindo mais centros de pesquisa de IA em todo o mundo e desenvolvendo seus próprios chips e hardware dedicados à execução de processos AI/ML. Além disso, o Google é o investidor mais ativo de empresas de IA entre as grandes empresas de tecnologia, captando talentos e construindo relacionamentos com aplicativos de IA promissores, ou seja, conhecimento em IA é um dos setores que o Google tem investido muito forte e com isso tem criado uma grande vantagem competitiva à medida que a IA tem se tornado um diferencial na área da saúde.

Porém não adianta ter a expertise só na área de IA, é necessário entender a área da saúde também, com isso o Google Ventures (GV), o braço de capital de risco, vem aumentando seu ritmo de investimento em empresas de saúde, enquanto o ritmo geral de investimento diminuiu. Uma das empresas que estão no portfólio é a Flatiron que recentemente foi comprada pela farmacêutica Roche por USD 1,9 billion, será que o GV tem acertado nos seus investimentos? Dá uma olhada no gráfico:

A estratégia do Google envolve uma abordagem end-to-end para a saúde, usando a IA para combater doenças, monitorar, detectar e gerenciar o estilo de vida, e essa abordagem incluí:

  • Geração de dados – Isso inclui a digitalização e a ingestão de dados produzidos por wearables, imagens e ressonâncias magnéticas, entre outros métodos. Este fluxo de dados é crítico para a detecção de anomalias orientada por IA.
  • Detecção de doenças – Usando AI para detectar anomalias em um determinado conjunto de dados que podem sinalizar a presença de alguma doença.
  • Gestão da doença / estilo de vida – Estas ferramentas ajudam as pessoas que foram diagnosticadas com uma doença ou correm o risco de se desenvolverem no dia-a-dia e/ou fazerem modificações positivas no estilo de vida.

De forma resumida na tabela abaixo é possível observarmos quais são as iniciativas do Google na área de health, principalmente através da Verily, empresa de pesquisa focada em life science do mesmo grupo do Google.

E não é só em software que o Google tem investido! A Verily também patenteou recentemente uma seringa inteligente para ajudar os diabéticos a monitorar suas injeções. Existe também uma patente para um monitor cardíaco passivo usando sensores ópticos e visão de máquina que parece mais voltado para a pessoa comum. A patente fala sobre a tomada de imagens das principais áreas de fluxo de sangue para fornecer um monitoramento contínuo da saúde do coração, a fim de promover comportamentos mais saudáveis.
A Verily também está procurando maneiras de ajudar os pacientes de Parkinson a administrar suas vidas cotidianas. Isso começou com a aquisição da Lift Labs, criadora da colher Liftware, que ajuda os pacientes de Parkinson a estabilizar a comida enquanto comem.

E qual é a ambição do Google na área da saúde?

A ideia é começar a disponibilizar serviços para a área de healthcare, não só para as empresas do seu portfólio, mas sim para qualquer pessoa. O Google quer organizar as informações geradas no mundo, bem como torná-las acessíveis e úteis. Trazer este conceito ao segmento de saúde significa usar padrões abertos para ajudar no compartilhamento de dados e colaboração interativa, enquanto oferece uma plataforma segura. Recentemente, a empresa lançou o Google Cloud for Healthcare (https://cloud.google.com/solutions/healthcare-life-sciences/), que aborda os importantes desafios de interoperabilidade nos dados de saúde. A nova interface de programação de aplicativos fornece uma solução de infraestrutura escalável e robusta, para coletar e gerenciar os principais dados e permitir que os clientes os usem para análise e machine learning na nuvem.

Quais serão as próximas doenças que o Google irá atacar?

Essas são algumas delas, mas tem diversas outras iniciativas que a CBinsights traz no relatório.

E como o Google ganhará dinheiro com essas inciativas?

Embora o modelo de negócios comum do Google seja principalmente publicidade, é provável que sejam adotadas abordagens diferentes para gerar receita na área da saúde, considerando-se a preocupação com a privacidade em torno das informações de saúde das pessoas.

O Google poderia ganhar dinheiro com um protótipo terceirizado e um mecanismo de P&D para grandes empresas de produtos médicos e farmacêuticos. Esses gigantes poderiam pagar pelo IP e tecnologia por trás de novas invenções e, em seguida, trazer sua experiência de comercialização para lançar o produto no mercado.

O Google começou a vender suas próprias linhas de hardware diferenciado de inteligência artificial, incluindo o Google Home, o Google Pixel e muito mais. Como os próprios dispositivos médicos se tornam mais diferenciados com IA, o Google poderia vender esses produtos diferenciados.

Há também o pacote de serviços do Google Cloud. À medida que o Google faz um grande esforço com sua oferta do Google Cloud e concorre com outros gigantes da tecnologia, a saúde é uma área atraente para vender seu armazenamento e serviços devido à grande quantidade de dados e de computação que a saúde exige – especialmente os cuidados com a saúde.

Vale a pena acompanharmos os próximos passos desse gigante e se você tem uma iniciativa que usa os serviços do Google Cloud for Healthcare entre em contato conosco para divulgarmos no site!

Via
cbinsights.com/research/report/google-strategy-healthcare
cloud.google.com/solutions/healthcare-life-sciences

André Marques dos Santos

Uma pessoa viciada em tecnologia, formado em Farmácia-Bioquímica pela USP e com muito afinidade pelo empreendedorismo. Procuro ampliar meus conhecimentos seja através de livros, cursos ou até mesmo ajudando outras pessoas e me desafiando durante esse processo. Atualmente amplio meu conhecimento em gestão e desenvolvimento de negócios para poder ajudar startups crescerem no mercado da saúde.